Antigamente

Antigamente, sim. Antigamente havia sossego e cada um sabia muito bem o papel que lhe cabia no todo social. Havia respeito, havia pessoas trabalhadoras que não estavam sempre a queixar-se dos seus …

Fonte: Antigamente

Goethe
Aquele senhor burguês condecorado,
ussía ou excelência bem cebado,
que ronca com pracer na noite longa
e tem mulher feliz, de teta oblonga,
com dous filhos petisos, desportistas,
um pouco libertinos e “juerguistas“,
idiotas pela mãe, pelo pai, grossos;
poendo dentes de cão que venta os ossos,
põe-se a rosnar e morde:
“Eu prefiro a injustiça ao desordem.”
(Celso Emilio Ferreiro)

Não sei se era antigamente, nem quando o antigo rematou, porém hoje também continúa a ser verdade para muito Goethe, com ou sem “ilustríssima”, a preferência pelo ordem antes que pela justiça ou pelo progresso solidário (puro desordem o que não é do seu interesse)

1352049605_398244_1352049686_noticia_normal
El Roto (El País) 

A vergonha continua em troco de salários de miséria, pelo medo ao refugiado, pela incerteza no futuro, pela desacreditação das instituições democráticas …

Anúncios

One Comment Add yours

  1. Indignado diz:

    Não há medo…, há sim uma certeza de que no meio de gente boa, virão muitos oportunistas cujo objectivo é viverem à nossa custa, como já acontece com grande parte da malta que tem o RSI…, nunca trabalharam, nem querem!
    Se gosta de trabalhar para folia dos outros, bom proveito, mas não se queixe!

    Gostar

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s